Educação Socrática

6 de junho de 2012

Sócrates apesar de usa aparência de calvo, feio, nariz achatado foi uma das mentes mais brilhantes que a humanidade conheceu e conhece até hoje pelos seus escritos.

Sócrates ao perambular pelas ruas de Atenas, procurava conversar com várias classes de pessoas. Pretendia despertar nas nas pessoas o interesse pelas coisas do espírito.

“Sei que nada sei”. Frase conhecida, mas de qual contexto ela nasceu? Querofonte, amigo de infância de Sócrates perguntou ao oráculo de Delfos, Pìtia, se existia alguém mais sábio do que Sócrates. O oráculo responde: “O mais sábio entre vós, é quem, como Sócrates, compreendeu que sua sabedoria é desprovida do mínimo valor”

Ele procurou investigar as razões desta revelação; pois não havia valor na sabedoria humana”. A partir daí ele sempre se apresentava e se considerava um homem que reconhecia sua própria ignorância. Quando o home reconhece sua própria ignorância então serás sábio. Por isso ele disse: “Eu [só] sei que nada sei”.

Os jovens e idosos não tinham muita simpatia por Sócrates. A maneira de filosofar de Sócrates era de confrontação intelectual e moral; queria constantemente que as pessoas se preocupassem com a verdade e com o bem-estar da alma.

“Conheça a ti mesmo”. A máxima de Sócrates, é que o conhecimento seguro deveria vir da alma, DO INTERIOR PARA O EXTERIOR. O homem somente poderia encontrar o verdadeiro conhecimento por meio do zelo pela sua própria alma. Teria que se despir da arrogância.

Sócrates queria demolir as presunções do saber. Ele queria que os interlocutores chegam a própria conclusão de sua ignorância, iniciando suas próprias reflexões, assim surge a maiêutica.

 

Prof. Fabio Miranda – fabioNmiranda.com.br

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Previous Post
«
Next Post
»